Receba as nossas atualizações em seu email.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O castigo do Padroeiro...

Até o Padroeiro do Rio Grande perdeu a paciência e protestou com aquilo que sabe fazer de melhor. Destinou para a quarta-feira de Grêmio x Vasco um temporal daqueles preparados, de dar orgulho de pai. Só errou o momento. São Pedro deveria saber que se protesta no final do jogo. Acabou sendo péssimo tanto para uma possível recuperação, como para quem foi lá pronto para dar adeus ao Silas.

Quem viu o jogo, viu o time com uma disposição que ainda não tinha visto, dado as circunstâncias do castigo do Padroeiro. Viu o time lutar e ser recompensado pelos deuses do futebol no final, com uma intervenção às sansões de São Pedro: pênalti claríssimo no último minuto. A chance de vitória que nos foi sonegada um segundo depois por Heber Roberto Lopes, por falta de colhões ou sacanagem mesmo.

Caso fosse a intenção da direção em demitir Silas com um resultado negativo em casa, as circunstâncias impediram. Caso a idéia era continuar prestigiando o técnico, caiu como uma luva. O fato é que não teria como não manter Silas depois de um jogo que não existiu. O momento era no máximo após o jogo anterior. Perdeu-se o tempo e talvez o bonde da história.

Em caso de novo fracasso contra o Cruzeiro (leia-se derrota ou empate), procuraremos um novo comandante que terá menos de uma semana para conhecer o grupo e preparar uma gambiarra tática para o GRE-nal. Vamos de interino? Rospide não está mais lá. Mas se por ventura uma vitória com boa atuação contra o Cruzeiro comprove que o resultado de quarta foi 100% culpa da chuva e da arbitragem e Silas não cai. O GRE-nal muda tudo?

2 comentários:

  1. Tá copiando dos sites em tche ?!!
    aushuahsuhauhsuha

    ResponderExcluir
  2. Essa coluna é "A letra o bonatto" a mesma do Globo esporte.com... Nunca neguei isso bruxão.
    ashuasuasuashuasuasha
    sou fão dos textos do Bonatto mesmo.

    ResponderExcluir