Receba as nossas atualizações em seu email.

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Julho...


Fechando Julho sem muito a comemorar no Cartola FC, Meu time despencou em todas as ligas, com destaque para Arial Black 2 e IEP (a 1ª vez que fecho o mês sem a liderança) - mas não tanto. Acho que não cheguei a comer poeira... Confira abaixo:

  • Liga Arial Black 2

1º C.R. LUKETE

2º FlaGaláticos7

Rof FBPA

4º Neymarlandia

5º Samuel Mania


  • Liga Babahunters

Rof FBPA

2º Neymarlandia

3º Oz invenciveis

4º Micael Mania

5º FC Peladão


  • Liga I.E.P.

1º FlaGalaticos7

Rof FBPA

3º Neymarlandia

4º Micael Mania

5º FC Peladão


  • Liga Super 90

1º Gold Master

2º São Paulo SM 2010

3º Smirnoff FC

4º Mago e Gladiador

5º Sport Messias

63º Rof FBPA


  • Liga Grêmio

1º Ju Gremista

2º Vani'lsterooy FC

3º Guilli FC

4º FC Geru

5º Mengo Love FC

2363º Rof FBPA


  • Liga Nacional

1º Fanfarrões VG

2º PÓ DE ARROZ FC

3º FC Vila Mimosa

4º NDA Supero o Talento

5º The Colt

19798º Rof FBPA


________________________________________________________

De grão em grão...

Como vocês sabem, todo final de mês eu mostro um pouco das provas de que eu faço alguma outra coisa além de escrever besteiras - ou seja, eu também ilustro besteiras. E olha que tem gente que me paga por isso...
Segue abaixo algumas de minhas peças que foram parar nas ruas da capital baiana, contribuindo para o entupimento de nossas redes de esgotos e dando mais trabalho para a galera dos carros de lixo. He He. Até amanhã...


BANNER - Instituto de Beleza Diná



Dados Técnicos:
  • Agência: Alvo
  • Cliente: Instituto de beleza Diná
  • Serviço: Banner externo
  • Criação: Willian Rof
  • Ferramenta de criação: Adobe Photoshop CS3
  • Data de execução: 09/07/2010
______________________________________________________________

Cartão de visita - Jordhana Sousa, fisioterapeuta
Dados Técnicos:
  • Agência: Alvo
  • Cliente: Jordhana Sousa
  • Serviço: Cartão de visita
  • Criação: Willian Rof
  • Ferramenta de criação: CorelDraw x3
  • Data de execução: 10/07/2010
_____________________________________________________________


Convites e Cartazes - Feijoada beneficente Irmã Celina


Dados Técnicos:
  • Agência: Alvo
  • Cliente: Irmã Celina
  • Serviço: Cartaz para divulgação externa
  • Criação: Willian Rof
  • Ferramenta de criação: Adobe Photoshop CS3
  • Data de execução: 15/07/2010
______________________________________________________________

Convite de Casamento - Estelita Ferreira


Dados Técnicos:
  • Agência: Alvo
  • Cliente: Estelita Ferreira
  • Serviço: Convites de Casamento
  • Criação: Willian Rof
  • Ferramenta de criação: Adobe Photoshop CS3
  • Data de execução: 16/07/2010
______________________________________________________________

Jornal - Colégio municipal Maria de Lourdes



Dados Técnicos:
  • Agência: Alvo
  • Cliente: Colégio Municipal Maria de Lourdes
  • Serviço: Mini Jornal
  • Criação: Willian Rof
  • Ferramenta de criação: CorelDraw x3
  • Data de execução: 20/07/2010
______________________________________________________________

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Agora é a vez da Dolly!


Olha eu aqui novamente metendo o pau nessas campanhas bizarras. E como eu gosto disso... hehe.
Recentemente o Mc Donald's apareceu aqui no blog por ter trocado as lembrancinhas do Mc Lanche Feliz por camisinhas (veja aqui). Outra que abalou por aqui com um erro grotesco foi a rede de supermercados Extra, que ainda na época da copa, eliminou nossa seleção antes mesmo do jogo ir ao ar (se ainda não viu, veja aqui).
Mas isso não significa que essas são as empresas que mais erram, são apenas as que mais aparecem.

Pensando em fazer um pouco mais de justiça, decidi mencionar uma marca que deveria ser membro do Hall da fama dos erros de publicidade: a nossa querida Dolly.

Toda vez que vejo uma propaganda desse refrigerante fico imaginando a cena de algum executivo da empresa, que teve uma brilhante idéia:

"Se a Coca-Cola consegue construir campanhas tão boas no Natal, o que nos impediria de fazer o mesmo com todas as outras ocasiões?"

E, com uma grande inspiração, deve ter mandado:

"Vamos lançar imediatamente uma nova campanha com músicas sensacionais e muita demonstração de emoção pra datas comemorativas como a Páscoa, Dia das Mães e Dia dos Pais!".

Pra quem ainda não viu o resultado, segue abaixo o "filme" que faz parte da “nova” campanha dos caras (o mesmo do ano passado), homenageando (que tipo de homenagem é essa?) os papais com uma “linda canção” cheia de rimas (?) e lágrimas.

Assista abaixo a tragédia. Se por acaso você se emocionar, dê uma Dolly pro seu pai você também. Fique a vontade.



quarta-feira, 28 de julho de 2010

Libera aê Doutor.


Liberados nos EUA, Canadá e Inglaterra, os medicamentos à base da erva do capeta também podem chegar a nossa terrinha. Pelo menos é o que reivindica um grupo um grupo de médicos e pesquisadores importantes (e usuários, eu acho), que se reuniram num congresso sobre a tal Cannabis medicinal realizado recentemente pela UNIFESP.
Entre outras coisas eles garantem que o THC e o Canabidol (princípios ativos da maconha, anote aí) podem atenuar a dor crônica – além de dar o maior barato, claro... rss, brincadeira.

A legislação brasileira já prevê o uso da verdinha em pesquisas científicas, mas o governo certamente precisaria de algum órgão regulador pra não deixar a bagaça virar bagunça. Aliás, por falar em bagunça, os entendidos no assunto juram de pés juntos que os remedinhos não dão a chamada “brisa/onda/barato” chame como quiser. Será?

Se liberados, eles só poderiam ser vendidos com prescrição de traficantes, digo, médicos, e seria classificado como tarja verde, digo, azul – a mesma dos remédios psicotrópicos.

“Nos nossos testes, o Canabidol reduziu os sintomas de pacientes com transtorno de ansiedade social. Eles são seguros e não causam dependência”
diz o neurologista Alexandre Crippa da USP.

Hum, sei. Isso aí parece mesmo discurso de quem usa esses lances. Quem é que não conhece nenhum fumante que diz: “eu paro quando quiser, não sou viciado”.
Acho que esses pesquisadores aí estão querendo é dividir o “cachimbo” com os pacientes, isso sim. Além do mais, convenhamos. Como o governo iria controlar esses remédios se essa joça não consegue ter o controle nem do uso das colas de sapateiro... Como diria o Capitão Nascimento: VAI DAR MERDA CAPITÃO!
.
.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

O castigo do Padroeiro...

Até o Padroeiro do Rio Grande perdeu a paciência e protestou com aquilo que sabe fazer de melhor. Destinou para a quarta-feira de Grêmio x Vasco um temporal daqueles preparados, de dar orgulho de pai. Só errou o momento. São Pedro deveria saber que se protesta no final do jogo. Acabou sendo péssimo tanto para uma possível recuperação, como para quem foi lá pronto para dar adeus ao Silas.

Quem viu o jogo, viu o time com uma disposição que ainda não tinha visto, dado as circunstâncias do castigo do Padroeiro. Viu o time lutar e ser recompensado pelos deuses do futebol no final, com uma intervenção às sansões de São Pedro: pênalti claríssimo no último minuto. A chance de vitória que nos foi sonegada um segundo depois por Heber Roberto Lopes, por falta de colhões ou sacanagem mesmo.

Caso fosse a intenção da direção em demitir Silas com um resultado negativo em casa, as circunstâncias impediram. Caso a idéia era continuar prestigiando o técnico, caiu como uma luva. O fato é que não teria como não manter Silas depois de um jogo que não existiu. O momento era no máximo após o jogo anterior. Perdeu-se o tempo e talvez o bonde da história.

Em caso de novo fracasso contra o Cruzeiro (leia-se derrota ou empate), procuraremos um novo comandante que terá menos de uma semana para conhecer o grupo e preparar uma gambiarra tática para o GRE-nal. Vamos de interino? Rospide não está mais lá. Mas se por ventura uma vitória com boa atuação contra o Cruzeiro comprove que o resultado de quarta foi 100% culpa da chuva e da arbitragem e Silas não cai. O GRE-nal muda tudo?

quarta-feira, 21 de julho de 2010

Um Mc dia feliz!!


No útimo dia 9 a rede de fast food McDonald's pediu muitas desculpas e anunciou seu espanto com as 5 mil camisinhas distribuídas nas caixas da promoção Mc Lanche Feliz.
Não, você não leu errado. Camisinhas coloridas foram colocadas no lugar dos brinquedinhos da campanha do filme Avatar por engano nas embalagens do Mc lanche feliz e enviados para distribuição numa cidade de Massachussetts, Estados Unidos.

As camisinhas eram destinadas à meia dúzia de escolas da cidade de Provincetown e foram confundidas por funcionários digamos, descuidados – pra não dizer “sacaninhas”.


As embalagens eram tão brilhantes e coloridas que foram confundidas com pequenos brinquedos do Mc Lanche Feliz. Infelizmente a maioria dos funcionários da empacotadora são estrangeiros, não leêm inglês e pensaram que ‘Ribbed Latex’ (látex enrugado) era um personagem do filme”

Robin Anderson, vice-presidente do jornal mexicano El Universal.


C
á entre nós, será que esse pessoal nunca escutou falar em Avatar??

Li esses dias no Yahoo que o pequeno erro foi descoberto quando crianças em uma festa de aniversário começaram a encher as camisinhas como se fossem bexigas (!!!).
Essas crianças sim, tiveram um Mc dia feliz!! rss
.

terça-feira, 20 de julho de 2010

O pulso ainda pulsa...

Nunca fui fã do imediatismo desesperado ou muitas vezes maldoso que leva a maioria a querer a cabeça de técnicos na primeira sequência de derrotas nos primeiros meses de trabalho. Tem quem não goste de um técnico desde a sua contratação, foi contrariado em sua preferência na lista de opções e decide que vai pegar no pé intransigentemente até sua demissão.

Acabei criando um ritual próprio de formação de opinião em relação a técnicos. Há um tempo específico para mostrar trabalho, outro para mostrar sua idéia tática e outro para mostrar resultados. Inclusive, desconfie sempre de quem chega mostrando resultados imediatos, pois geralmente a inconsistência aparece logo adiante.

Cumpri todas as etapas com o Silas. Por isso não identifico nenhum sinal de inconseqüência em quem exige a saída imediata do técnico, treinador, pastor, agente ou qualquer outra denominação que se ouve daquele que atualmente ocupa o cargo de comandante do vestiário.

Silas teve mais de meio ano, teve a vantagem de iniciar os trabalhos numa pré-temporada, teve a dádiva de uma intertemporada, tem Paulo Paixão, tem um grupo de jogadores que formam a maior folha salarial do Grêmio no milênio. Mesmo assim, não se vê o trabalho do Silas, muito menos alguma idéia tática ou trabalho de jogadas. Pelo contrário, se vê o Rodrigo dizendo após o empate com o Vitória que “quanto mais o time treina, mais erra em campo”.

Não concordo, mas entendo a posição da direção ao demonstrar – ao menos nos microfones – convicção no “trabalho” do Silas. Quero acreditar que é apenas para evitar que se exteriorize uma crise maior, e que os dirigentes não estão pensando nas conseqüências políticas numa hora dessas. Mas presidente, pare de falar publicamente que o trabalho do Silas já foi provado. Na Copa do Brasil o Grêmio parou no primeiro adversário com alguma qualidade e o argumento de que “é loucura demitir um técnico que nos deu o Gauchão”, ficaria bem na boca de um dirigente do interior. Na de um presidente do Grêmio, fica chato pra nós.

A certeza é que o Grêmio precisa de um novo técnico, com uma nova idéia de trabalho (no caso, ALGUMA, idéia de trabalho), e acho difícil que o próprio Silas se transforme neste NOVO técnico. A única dúvida é QUANDO esse novo treinador virá, e consequentemente a ela, qual será sua missão. Título? Vaga na Libertadores? Ou algo ainda menos honroso?

quinta-feira, 15 de julho de 2010

FIFA e mais polêmicas.


A FIFA divulgou recentemente a versão 2010 do Ranking de Seleções e de Clubes. De acordo com os critérios (que ninguém sabe ao certo quais são) da entidade, a seleção da Espanha continua sendo a primeira colocada no Ranking de Seleções enquanto o segue firme e forte na liderança do BarçaRanking dos Clubes. Entre os brasileiros o time de melhor colocação é o Cruzeiro que aparece na 19º posição.

As surpresas no Ranking das Seleções fica por conta da penúltima campeã do mundo, a seleção da Itália, que aparece na quinta posição atrás da Holanda e de Portugal; os nossos Hermanos, aparecem apenas na décima colocação, enquanto o meu querido Uruguai está apenas na décima oitava colocação, atrás de seleções como a Rússia, o Egito e a Sérvia – como assim?

No Ranking de Clubes o poderoso Manchester United aparece apenas na 12º posição atrás até de times como Fullhan, Atlético de Madri e o internacionalmente desconhecido Lille. Realmente não dá pra entender os critérios da FIFA.

Porém uma coisa que fica muito clara a cada vez que é divulgada essa relação, é que ela gera a maior polêmica! Talvez esse seja o maior critério de avaliação na opinião dos Dirigentes da FIFA. Vai saber...

Confira os 20 primeiros – Ranking de Seleções:

1º - Espanha, 1.602 pontos.
2º - Brasil, 1.589
3º - Holanda, 1.261
4º - Portugal, 1.214
5º - Itália, 1.183
6º - Alemanha, 1.157
7º - Inglaterra, 1.120
8º - França, 1.077
9º - Argentina, 1.075
10º - Croácia, 1.051
11º - Grécia, 1.032
12º - Rússia, 1.009
13º - Chile, 974
14º - Egito, 967
15º - Sérvia, 950
16º - Estados Unidos, 948
17º - México, 921
18º - Uruguai, 902
19º - Austrália, 898
20º - Camarões, 887

Confira os 20 primeiros – Ranking de Clubes:

1º - Barcelona 297 pontos
2º - Inter de Milão - 297
3º - Bayern de Munique 257
4º - Estudiantes 254
5º - Roma 248
6º - Chelsea 236
7º - Fulham 236
8º - Werder Bremen 236
9º - Atlético de Madri 231
10º - Lyon 230
11º - Lille 218
12º - Manchester United 217
13º - Arsenal 216
14º - Valência 214
15º - PSV Eindhoven 210,5
16º - Hamburgo 210
17º - Bordeaux 209
18º - Sevilla 208
19º - Cruzeiro 207
20º - Vélez Sarsfield 205

Confira também a posição dos clubes brasileiros no ranking atual:

19º - Cruzeiro 207
29º - São Paulo 195
34º - Corinthians 187
37º - Flamengo 179
39º - Internacional 175
43º - Fluminense 170
106º - Vitória 114
121º - Santos 112
122º - Grêmio 109
126º - Botafogo 106
140º - Palmeiras 102
142º - Goiás 100
189º - Atlético-MG 88
204º - Avaí 84

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Madruga e verá. Trabalha e terá!

Bem, a Copa acabou, não ganhamos nada - nem experiência para apróxima, acho; E como diz o velho ditado: Madruga e verá. Trabalha e terá.

Levando em consideração que de vez em quando é até bom brincar de trabalhar – as vezes, claro; vamos voltar a velha rotina. Segue abaixo algumas peças que fiz na última semana. Confiram:

Rei Representações Kalel Informática

Amilton de Souza
Ceiça Ribeiro

terça-feira, 13 de julho de 2010

Ossos de aço!!


Em Jacarta, na Indonésia, uma campanha extremamente criativa vem dando muito o que falar.Pouca gente conhecia o Dumocalcin no país – um suplemento mastigável de cálcio.

Com esse desafio, a Publicis Jakarta pensou: como tornar o produto conhecido de uma forma que chamasse bastante atenção, com um retorno instantâneo e de quebra ir direto ao ponto, sem arrodeios nem nada, isto é: dizer que ele deixa os ossos mais fortes?

Como solução, escolheram uma das ruas mais movimentadas da cidade e revestiram com fibra de vidro as colunas de um viaduto, simulando ossos gigantes em sua sustentação. Assim, todos os dias várias pessoas são expostas a marca e percebem que Dumocalcin deixa os ossos muito mais fortes. PERFEITO!!

Ficha técnica:
  • Agência: Publicis Jakarta, Indonesia
  • Diretor de Criação: Roy Sagala
  • Diretor de Arte: Yohannes Chayadi / Eddu Enoary / Randy Rinaldi
  • Redator: Yohannes Chayadi








segunda-feira, 12 de julho de 2010

Brasil 0 x 1 FIFA - Começamos mal...

É, gente, mal a Copa da África acabou e as atenções já se voltam para a Copa 2014. A Copa do Brasil. E o assunto é a logo da Copa de 2014 que tem causado revolta e dado o que falar pela internet desde sua primeira aparição.

Muitos não acreditavam que isso poderia ser a logo da Copa do Mundo de 2014. Em alguns site eu li até que isso poderia ser "fake". Mas a verdade é que infelizmente essa é sim a identidade visual da Copa do Mundo 2014.Se o futebol da seleção for tão bonito quanto a logo que vai representar o evento, eu posso arriscar a dizer que o Brasil já começou perdendo.
“O objetivo do logo é representar a taça da Copa usando mãos que se entrelaçam” – disse o responsável. Mas o método que escolheram para elegê-la é que foi cercado de polêmica. Entre elas a publicação de uma nota da ADG (Associação dos Designers Gráficos do Brasil), dizendo que foi excluída da votação pela Fifa.
E sabe o que é mais divertido nisso tudo?
O júri que elegeu o vencedor não foi composto por especialistas, mas tinha a modelo Gisele Bündchen, o escritor Paulo Coelho e a cantora Ivete Sangalo. Confira:
  • Ricardo Teixeira – (i) responsável pela CBF,
  • Jérôme Valcke - secretário-executivo da FIFA (nunca nem ouvi falar),
  • Oscar Niemeyer - arquiteto brasileiro que vive do que já fez no passado.
  • Paulo Coelho - Escritor que deixou sua criatividade presa no século passado.
  • Ivete Sangalo – Cantora de músicas com pouco conteúdo.
  • Gisele Bündchen – Loura...
  • Hans Donner – Designer responsável pelas peças engessadas da Rede Globo.
Estamos de olho...
Veja abaixo o motivo de toda polêmica:

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Tempo perdido.

por Cristian Bonnato

Passou-se mais de um mês desde que escrevi que não tinha time deste campeonato que esperava com tanta ansiedade pela parada para a Copa como o Grêmio. Ledo engano. Parece que tanto fez como tanto faz. Silas comemora o que foi a única utilidade de todo esse tempo longe do calendário oficial: dar ritmo de jogo aos reservas. Cada partida parecia pelada beneficente de fim de ano de tantas as substituições que foram feitas a cada partida, com a diferença que os jogadores de pelada entram em campo com mais comprometimento.

Já se começou perdendo tempo. 10 dias de folga para o grupo, como se o time não estivesse a dois pontos da zona do rebaixamento. Se bem que poderia ter sido 30 que não faria diferença. Continuamos sem saber qual o time titular nem o esquema tático. Mas temos ritmo, a música que vão tocar é só um detalhe.

Não se preocupe com as derrotas para Coritiba e Avaí, ou com a lanterna da Copa da Hora, temos motivos bem maiores para procurar um meio-fio, sentar e lastimar. Não me preocuparia em perder todos os amistosos destes 30 20 e poucos dias, se essas derrotas fossem decorrência de ajustes equivocados, tentativas frustradas de jogadas ensaiadas, configurações diferentes na defesa para definir a posição do Mário e a dupla de zaga. Perderíamos por encarar esses jogos como prancheta. Mas não, o fiasco foi a troco de nada.

Não dá sequer para comemorar com tanto entusiasmo a solução do problema crônico das lesões que lotava o DM há 30 dias. As últimas notícias dão conta de que Jonas e Hugo já sentem desconforto muscular, Maylson tem dores na perna, Uendel na coxa e Ferdinando tem tendinite. Estamos chupando bala, e já acho que não é só nesses 30 dias. É a mais de meio ano.

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Filmes que você ainda não viu.

Bom, o post de hoje não é nenhuma novidade mas é muito bacana. Vale apenas relembrar essas peças.Uma rede de hortifruti do Rio de Janeiro resolveu mudar completamente a forma de anunciar meros legumes e verduras.É mais uma prova que o diferente faz a diferença (ficou meio estranho esse trecho). Inspirado em filmes famosos os legumes e verduras são expostos em outdoors no centro da capital carioca.
Com certeza isso gerou uma puta discussão.
Criatividade acima de tudo!Parabéns a agência.Confira abaixo as peças:































quarta-feira, 7 de julho de 2010

Dissecando o "Cala boca Galvão"


Semana passada circulou a edição da Revista Veja que tem na sua capa o famoso viral que estourou no Twitter, o CALA BOCA GALVÃO.
A matéria mostra um panorama geral do Twitter, incluindo informações bastante curiosas, como a briga entre a CNN e o ator Ashton Kutcher pelo primeiro milhão de seguidores (algo muito útil), a recente briga entre Rick Martin e Hugo Chavez, que tuitou que o cantor era chavista e foi desmentido - que papelão.
Além disso, a matéria apresenta fatos interessantes sobre a ferramenta, confira:

  • O Twitter já é a segunda maior rede social do planeta.
  • O Twitter já tem 150 milhões de usuários, e 190 milhões de visitas únicas por mês.
  • Todos os dias são 65 milhões de mensagens via Twitter.
  • Todos os dias são feitas 600 milhões de buscas no Twitter.
  • No Brasil o Twitter é a segunda maior rede social com 11 milhões de visitantes únicos, perdendo só para o Orkut.

Primeiro é preciso que se diga que a frase original Cala a boca, Galvão foi criada pelo Macaco Simão, do brilhante José Simão, que dispensa apresentações. Portanto já era um hit na comunicação jornalística e na boca do povo.
Segundo é preciso dizer que não houve um primeiro emissor, ou um gênio por trás da ação. Foi simplesmente a abertura da Copa do Mundo e, consequentemente, o início dos comentários do locutor da Globo Galvão Bueno, que dispararam a frase, e sua consequente repercussão no Twitter, por milhares de Internautas. Se não me falha a memória, foi no dia 10/06, o dia da abertura oficial da Copa do Mundo, que a frase CALA BOCA GALVÃO apareceu pela primeira vez no Trend Topics (lista do Twitter com os assuntos mais comentados).

Como já aconteceu, e vem acontecendo todos os dias, alguma frase sempre acaba no Trend Topics. O que de fato gerou a explosão, e o interesse mundial, é que em função da gigantesca audiência da Copa do Mundo e, particularmente, o imenso interesse dos brasileiros pelo futebol, fizeram que a frase aparece-se não no TTBr (o Trend Topics que mede só os assuntos discutidos no Brasil), mas no Trend Topics geral do Twitter. Imagine os americanos, lendo uma frase incompreensível em Inglês, aparecendo no Trend Topics no dia da abertura do Mundial.

É óbvio que a curiosidade sobre o significado da frase foi o motivo que levou os Twiteiros de todo mundo, e a imprensa americana, a se interessar pelo nosso CALA BOCA GALVÃO. A grande explosão ocorreu no dia 11 quando o Wall Street Journal publicou, em seu blog, matéria sobre o tema e o significado da frase.

Depois disso, um publicitário brasileiro, que ao que me consta mora nos Estados Unidos, postou o famoso vídeo no YouTube, com a campanha em defesa do pássaro Galvão, uma das explicações dadas de brincadeira pelos brasileiros para os americanos.

Mais uma vez, no dia 15, a frase CALA BOCA GALVÃO vai para o Trend Topics do Twitter, por causa da matéria publica pelo The New York Times explicando toda a história.

Assim, olhando toda a história, posso realmente comentar o que aprendemos com o CALA BOCA GALVÃO, em particular do ponto de vista do marketing digital, do uso da Internet para os negócios.

Em primeiro lugar, é fato notório, comprovado mais uma vez neste caso, que a impressa está ligada no Twitter de forma irreversível, e que assuntos que aparecem com relevância na rede passam a pautar muito jornais importantes. Isso mostra que o Twitter pode ser uma ferramenta de comunicação empresarial muito eficiente, principalmente se associada a um blog, o que dá mais profundidade aos textos. Os jornalistas estão, cada dia mais, ligados à Internet e ao Twitter, e a ferramenta passou a ser fundamental na assessoria de comunicação e nas relações públicas.

Em segundo lugar, o caso mostra a importância de estar monitorando as mídias sociais, e a repercussão que um ataque à sua marca ou a um candidato a eleição, pode atingir na rede. Não se trata de patrulhamento, mas da constatação que a Internet pode prejudicar uma marca, um produto ou uma pessoa em escala planetária, sem que ela sequer esteja presente na rede. Note que o Galvão Bueno não é um usuário intensivo das redes sociais, e que não houve nenhuma frase, comentário, post ou ação nas mídias sociais que gerasse o efeito indesejado do CALA BOCA GALVÃO. Foi uma ação espontânea de Internautas que estavam cansados do seu estilo de locução. Assim, estar presente nas mídias sociais e ficar atento aos ataques a sua marca ou nome é uma atividade prioritária para qualquer negócio, mesmo para um gigante das comunicações como a Rede Globo, ou uma figura popular como o locutor Galvão Bueno.

Em último lugar, cabe dizer que não se trata de marketing viral. É, sim, um bom exemplo sociológico sobre o efeito viral da rede. Mas não é marketing viral. É importante que as pessoas separem a comunicação na Internet, como um fenômeno social, do marketing digital, uma parte dessa comunicação voltada a produzir efeitos positivos nos negócios, nas marcas e nos produtos. Para ser marketing viral, deve haver uma mensagem que traga benefício à marca. Para isso, é preciso planejamento, difusão, controle e principalmente resultados. O caso do CALA BOCA GALVÃO não foi criado por alguém, nem planejado, e nem beneficia nenhuma marca. Ele tem na verdade um ataque a imagem do locutor Galvão Bueno, mas que pode ser considerada quase neutra, já que apenas mostra que alguns gostam dele e outros não, coisa comum em figuras de grande exposição na mídia. Criar uma grande barulho na rede através do efeito viral, não é marketing viral, mas somente uma constatação do efeito viral que, como todos já sabemos, está presente na rede.

O caso CALA BOCA GALVÂO nos mostra importantes lições sobre comunicação empresarial e sobre a importância de se ter planos de comunicação em momentos de crise nas redes sociais. Mostra também que o efeito viral é muito poderoso, o que valoriza o marketing viral, mas que alerta para a necessidade de se trabalhar ações virais muito bem planejadas, para evitar que o tiro saia pela culatra.

terça-feira, 6 de julho de 2010

Príncipe da Pérsia, as areias do tempo - crítica

A aventura do principe adotado até se esforça mas não consegue nem de longe alcançar o sucesso dos joguinhos.


Se você nasceu na 1ª metade da década de 80, se já matou algumas aulas para terminar as milhares de fases do Super Mario World ou já trocou aquela balada numa noite de sábado por umas voltas nas ruas de GTA; então certamente deve ter uma forte relação afetiva com nomes como Street Fighter, Alone in the Dark, Dead or Alive, House of Dead, Zelda...

Mas se você além de gamemaníaco, também é viciado na tal da 7ª arte, então já teve o (des)prazer de assistir as adaptações sofríveis desses joguinhos para as telonas. A explicação para isso é simples: o mundo dos games fala um idioma completamente diferente do de Hollywood - isso qualquer um pode entender. Baseado nisso podemos afirmar que qualquer adaptação torna-se tão arriscada quanto o ganha pão do Sargento James em Guerra ao Terror (The Hurt Locker, 2008).

Mas não se engane, existem muitos (muitos mesmo) jogos com enorme potencial para se tornarem filmes daqueles que lotam salas de cinema e agradam até os mais chatos dos críticos. Filmes como Mortal Kombat (Idem, 1995), (Resident Evil – o hóspede maldito (Resident evil, 2002), Final Fantasy – o filme (Final Fantasy – The spirits within, 2004), Doom – a porta do inferno (Doom, 2005) e Hitman (idem, 2007), são exemplos de obras que conseguem ir além da mediocridade das bagaças que listei acima e entretêm a platéia por alguns minutos. Nada mais que isso.
O único destaque é Terror em Silent Hill (Silent Hill, 2006) que é considerado até hoje como a melhor (ou a menos ruim, você escolhe) adaptação de um game já feita até hoje.

Que (re)comecem os jogos.

A bola da vez é a série de jogos de aventura, Prince of Pérsia, famosa pela ação incessante, gráficos de 1ª e história bem elaborada. Não demoraria muito tempo para virar filme. Foi só a Disney soltar a grana, Jerry Bruckheimer dar as cartas e Jake Gyllenhal fazer o implante capilar.
O filme se passa na Pérsia Medieval, cuja época exata nunca é dita – e quem souber morre. Dastan (Jake Gyllenhal, de Soldado Anônimo) é um moleque de rua do antigo reino Persa que dá testa a um soldado do império e chama a atenção do Rei. Impressionado com a performance do trombadinha durante a tentativa de fuga (digna de um dublê do Tarzã) o Rei decide adotar o menor infrator e automaticamente torna-o um dos seus príncipes.

A partir daí róla uma monotonia na tela – o famoso “encher lingüiça”, prepare-se. O filme só ganha um novo fôlego quando chega uma denuncia de que o Reino de Alamut estaria escondendo armas de destruição (lembrou de algo?), assim, o príncipe adotivo e seus irmãos partem em direção ao Reino na intenção de conquistá-lo (agora lembrou!) e surrupiar a deliciosa princesa local – que porta um precioso artefato. Humm.

A operação que parecia ser mamão com açúcar para o príncipe de Brokeback Mountain, digo da Pérsia; na verdade é uma puta trairagem com o bastardo, que após o retorno é acusado de matar o Rei e acaba tendo que fugir com a prisioneira. A males que vem pra bem afinal...
Agora ambos terão que se unir para continuar vivos, provarem a inocência de Dastan (muito original, não acha?) e encontrar as tais areias que dão título ao filme.

Quer ganhar no grito?

Príncipe da Pérsia - As areias do tempo (Prince of Persia - The sands of time, 2010) é um filme divertido (pipoqueiro como todos os filmes produzidos por Bruckheimer) e até prende a nossa atenção pelos efeitos especiais, pelo barulho (pra quem gosta), pelas piruetas macaqueadas do Le pakour (no melhor estilo B-13) e pelo barulho – de novo.
Quanto a trama e a composição dos personagens (e suas representações), não se importe muito – afinal, se nem eles se importaram muito com isso porque nós deveríamos nos preocupar.

Tenho escutado nos últimos dias todo tipo de coisa sobre essa adaptação. E ela causa esse tipo de reação mesmo. Ora você acha um bom filme (principalmente no início); de repente a casa cai e parece um amontoado de cenas de ação com pouco propósito.
Os cenários são bem fiéis aos do jogo, ou seja, tão horríveis quanto. Agradam aos fãs pelo menos. Fiéis também são os saltos característicos e o figurino do príncipe – uma espécie de chimpanzé Persa, vestindo roupas de Yves Saint Laurent – e ainda tem a adaga, cujo poder é ativado pelo botãozinho mágico. Eu ri...
Não quero dizer com isso que a obra é ruim, mas convenhamos, faltou muito (muuuiiiito mesmo) para superar o seu principal oponente no gênero: Terror em Silent Hill.

Um Mix entre Piratas do Caribe (Pirates of the Caribean, 2003) e Aladdin (Idem, 1992) com umas pitadas de Indiana Jones; Príncipe da Pérsia - As areias do tempo fica abaixo de todos eles e tenta ganhar um lugar na audiência popular na base do grito - literalmente, levarmos em consideração a barulheira toda. Mas não é bem assim. Nós temos todo o direito de dizer NÃO a essas produções insossas, recheadas com piadinhas e romance modinha que só servem para ajudar a criar um clima ideal para os chamados "filmes família”. Nada contra os filmes direcionados a todos os públicos, mas dói ver uma saga onde o guerreiro principal não pode sequer sujar as mãos (nem as armas) de sangue...

___________________________________________________________
Informações úteis:

  • Titulo original: Prince of Persia - The sands of Time
  • País: EUA
  • Ano: 2010
  • Duração: 116 min.
  • Gênero: Ação
  • Direção: Mike Newell
  • Elenco: Jake Gyllenhaal, Gemma Arterton, Ben Kingsley, Alfred Molina, Toby Kebbell, Richard Coyle.
  • Avaliação: 3 (ok)
Informações (in)útéis
Sobre o filme:
  • Quando vi? 20/06/2010
  • Com quem?
  • Quantas vezes? Uma vez
  • O que senti? Nem sei direito viu...
Sobre o texto:
  • Quando escrevi? 06/07/2010
  • Onde estava? No trampo
  • O que escutava? Amy Winehouse - Back to Black
  • O que ingeria? Nada
Trailer oficial:



sábado, 3 de julho de 2010

Uruguai Campeão da Copa do Mundo 2010?

De volta às Oitavas de final de uma Copa do Mundo depois de 40 anos, a seleção uruguaia ganhou mais um motivo para confiar no tão sonhado tricampeonato. Segundo as estatísticas de todos os Mundiais, é possível prever o campeão antes mesmo de a competição terminar. A brincadeira foi realizada pela Espn Deportes e não consiste em indicar quem será o país que erguerá a taça da Fifa em 2010, e sim em apontar os 31 eventuais perdedores através de dados e tendências históricas de todas as Copas realizadas até hoje.
Confira abaixo os 11 dados que apontam a seleção uruguaia como campeã do mundo na África do Sul:

1º- Ranking da Fifa:

Jamais um campeão mundial esteve abaixo da 20ª posição desde que a entidade implementou seu ranking. Por essa razão, já considerando possíveis mudanças no ranking feitas antes mesmo do torneio, estão eliminadas as equipes abaixo da 60ª colocação: Nova Zelândia (80ª), Coreia do Norte (102ª) e África do Sul (81ª).

2º- Derrota nas Eliminatórias:

Nunca uma equipe europeia se consagrou vencedora após sofrer mais de uma derrota nas Eliminatórias. Assim, saíram: Grécia, Eslovênia, Eslováquia e Sérvia.

3º- Média de gols:

Jamais uma seleção com média inferior a 1,5 gols nas Eliminatórias foi campeã. Por isso, Austrália e Argélia deixaram a briga pelo título e o Paraguai deve ser o próximo.

4º- Quartas de final:

Nunca um país que não chegou à essa fase em alguma edição anterior festejou o título. Assim, Costa do Marfim, Gana, Japão e Honduras já iam se despedir da taça mesmo.

5º- Lanterna:

Jamais um selecionado que já ficou na última posição em um torneio anterior foi campeão. México (ficou na lanterna em 1930, 1958 e 1978), Estados Unidos (1998) e Coreia do Sul (1954) não foram a exceção na Copa 2010. Até aí, nenhuma surpresa.

6º- Invencibilidade:

Holanda e Espanha serão os primeiros favoritos a serem eliminados por esse sistema. Isso, porque nunca em toda a história uma seleção europeia que se classificou com 100% de aproveitamento nas Eliminatórias venceu a Copa do Mundo seguinte.

7º- Brasil na primeira fase:

Não aconteceu, em nenhum Mundial anterior, de uma seleção que dividiu o grupo da etapa inicial do torneio com o Brasil ser campeã em seguida. Por isso, Cristiano Ronaldo e Portugal dão adeus ao sonhado caneco.

8º- Treinador local:

Inglaterra, Camarões, Nigéria e Chile não caíram por suas más atuações, e sim pela "maldição do técnico estrangeiro", pois todos os campeões mundiais até hoje tinham comandantes nascidos no próprio país. Fabio Capello, Paul Le Guen, Lars Lagerbäck e Marcelo Bielsa só poderiam conhecer a glória se treinassem Itália, França, Suécia e Argentina, respectivamente.

9º- Europeus caseiros:

Dinamarca, Suíça, França e Itália se despediram da competição ainda na primeira fase, pois jamais uma seleção da Europa ergueu o troféu fora do Velho Continente. Por isso, a Alemanha será a próxima a arrumar as malas e voar de volta para casa.

10º- Copa América e Copa das Confederações:

Mais uma maldição que ronda os Mundiais. Nunca, nos oitenta anos de Copa do Mundo, uma nação que venceu algum desses torneios foi campeã no Mundial seguinte. Com isso, o Brasil, campeão continental em 2007 e das Confederações em 2009, teve dois bons argumentos para se despedir da África do Sul.

11º- Melhor do Mundo:

Desde a criação da "Bola de Ouro" da revista France Football, nunca um jogador que ganhou esse prêmio no ano anterior foi coroado com o título da Copa no ano que veio em seguida. Lionel Messi, astro argentino e eleito melhor do mundo em 2009, pode ser o próximo a entrar para esse seleto time.

Uruguai campeão!

Depois de 60 anos de tristezas a seleção cisplatina voltaria a levantar a mais cobiçada taça do planeta. Além disso, o país venceu seus únicos dois campeonatos mundiais em anos terminados em zero - 1930 e em 1950. Resta saber se os comandados de Oscar Tabárez conseguirão honrar as estatísticas históricas e levarão o tão sonhado caneco de volta para Montevidéu.

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Alicia Keys - Songs in a Minor


Alicia Keys, nome artístico de Alicia Augello-Cook (Manhattan, Nova Iorque, 25 de Janeiro de 1981) é uma cantora, compositora, produtora e pianista norte-americana de música R&B/soul.
Keys é uma artista de renome, tendo vendido mais de 30 milhões de álbuns e 25 milhões de singles, ganhou vários prêmios, incluindo doze Grammys, dez Billboard Music Awards e cinco American Music Awards.
Alicia é conhecida mundialmente pelo sucesso de seus singles "Fallin'", "You Don't Know My Name", "If I Ain't Got You", "My Boo", "No One", "Empire State of Mind", entre muitos outros.

O primeiro álbum de Keys, Songs in A Minor, foi lançado nos Estados Unidos em junho de 2001, e estreou na primeira posição na lista dos mais vendidos da Revista Billboard, vendendo 235 000 cópias na primeira semana (50 000 delas no primeiro dia. Venderia mais de dez milhões de cópias no mundo todo, estabelecendo a popularidade de Keys dentro e fora dos EUA.

O primeiro single do álbum, "Fallin'", ganhou grande rotação em rádios de diferentes estilos musicais (do R&B e Hip-Hop ao pop) e ficou seis semanas na primeira posição da lista dos singles mais vendidos da Billboard. Keys interpretou "Someday We'll All Be Free" de Donny Hathaway no concerto televisionado America: A Tribute to Heroes dedicado às vítimas dos ataques terroristas de 11 de setembro de 2001.

O próximo single de Songs in A Minor, "A Woman's Worth", ficou entre os dez mais vendidos dos EUA. Keys e seu álbum ganharam cinco Grammys em 2002, incluindo Melhor Artista Revelação e Canção do Ano com "Fallin". Mais tarde, em 6 de março de 2002, Keys lançou Remixed & Unplugged in A Minor, uma re-edição de Songs in A Minor com 8 remixes e 7 versões acústicas de algumas músicas encontradas originalmente em seu primeiro álbum.

O terceiro single lançado de Songs in A Minor, "How Come You Don't Call Me" foi um relativo fracasso para Keys, atingindo a posição de número cinquenta e nove entre os mais vendidos da Billboard. No entanto, o single "Gangsta Lovin'" (um dueto que Keys fez com a rapper Eve para o álbum dela Eve-Olution) atingiu a segunda posição entre os mais vendidos daquela publicação, se tornando outro hit para Keys. O quarto e último single de Songs in A Minor, "Girlfriend", foi lançado apenas fora dos Estados Unidos, e atingiu a décima terceira posição no ranking dos mais vendidos da Austrália segundo a ARIA.
As críticas do álbum de Keys foram basicamente positivas. O trabalho de Keys foi comparado à música soul dos anos 1970 como a de Curtis Mayfield e Marvin Gaye com influências no hip-hop. No entanto, algumas pessoas acusaram Keys de plágio, especificamente em "Fallin'", em que ela interpola o ritmo da canção "It's A Man's World" de James Brown ao seu. Mas James Brown não foi creditado como compositor da canção graças à J Records, que pagou os devidos royalties a Brown. Depois disso, tudo foi esclarecido.

Lista de músicas:

  1. Piano
  2. Girlfriend
  3. How come you dont call me
  4. Fallin
  5. Troubles
  6. Rock wit u
  7. A woman's worth
  8. Jane Doe
  9. Good bye
  10. The life
  11. Mr. Man
  12. Never felt this way
  13. Butterflyz
  14. Why do i feel so sad
  15. Caged bird
  16. Lovin U
Download

Seleção Brasileira eliminada da Copa 2010!

Quem trabalha com publicidade em época de Copa do Mundo de futebol sabe como é: você tem que estar preparado para tudo - inclusive a eliminação precoce da Seleção Brasileira. Anúncios de oportunidade têm dessas.
Por isso, muitas agências se antecipam e já desenvolvem peças caso o Brasil seja derrotado e tenha que regressar ao país; mas não precisa antecipar, né? O tema voltou a ser assunto na semana após uma falha GROTESCA no anúncio da rede Extra de hipermercados, publicado no jornal Folha de São Paulo.

Nessa história toda, o que mais chamou a atenção foi o tom da resposta do Abílio Diniz (Presidente do conselho de adm do GPA), por meio do seu twitter pessoal. Não se esperava que o principal executivo do Grupo iria se desgatar para discutir e se justificar por esse erro. Com ares de repreensão militar, Diniz pretende colocar a culpa em alguém (claro), mas parece que o canhão está virado só para o jornal.

“Como presidente do Conselho de Administração do GPA peço desculpas, em meu nome e do Grupo, aos brasileiros e, principalmente, aos jogadores da seleção”.

“Não compartilhamos com a impunidade e tomaremos as providências, que não eliminarão o erro, mas irá responsabilizar os culpados”.

Agora responda você. De quem foi o erro?
  • [ ] - Do Extra, de ter autorizado a publicação?
  • [ ] - Da agência, que enviou o anúncio errado?
  • [ ] - Da Folha, que mesmo sabendo do resultado do jogo, publicou o anúncio?
  • [ ] - De Abílio Diniz, que conduziu a situação dessa maneira?
  • [ ] - De todos eles.
No fim, acho que foi uma sequência de enganos, e a história foi ficando pior a cada passo. Poderia ter sido tratada de outra forma, mais leve e sem tanta repercussão. E por isso, nesta semana, o assunto é pauta de dezenas de sites, blogs e publicações. Como estratégia de marketing de um patrocinador da Seleção brasileira, esse foi gol contra do Extra.

Veja abaixo o motivo de toda essa discussão - clique na imagem para ampliá-la.