Receba as nossas atualizações em seu email.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Personal Demons, amor infernal - crítica

Se você tivesse que escolher entre o céo e o inferno; o que escolheria?

Eu cresci na Igreja e acho que não seria um engano afirmar que, assim como Franie, eu era uma boa menina Católica. Minha família sempre freqüentou a Igreja assiduamente, principalmente em minha infância. Recebi os mesmos valores que a protagonista de "Personal Demons" recebeu e devo dizer que na adolescência não é uma tarefa simples seguir certos dogmas impostos.

Franie é inteligente, uma daquelas pessoas que não tem muita necessidade de se esforçar para conseguir seus objetivos, as coisas parecem sempre vir em sua direção e devido a este aspecto a protagonista demonstra um comportamento mimado e egoísta em diversas situações. Entretanto, a autora consegue forjar uma ligação entre a protagonista e o leitor. Visto que se contrapondo a este defeito, existe uma empatia natural que surge em situações necessárias.

Apesar de, na maior parte do tempo as coisas se tornarem fáceis para Franie, ela carrega um segredo, uma grande contrariedade do destino. Seu irmão morreu quando os dois eram crianças. Ela se culpa pelo acidente que causou sua morte.

Franie possui um “dom” especial do qual ela é indiferente, ela não sabe que carrega um poder cobiçado por anjos e demônios. Na luta para ver quem a possuirá primeiro, entram dois guerreiros ferozes. Gabriel, um Anjo enviado pelo Paraíso e Luc Caim, um Demônio enviado do Inferno para seduzi-la.

Luc é obviamente o personagem central neste livro, já que a história todo se passa do ponto de vista dele e de Franie. Segundo a autora, veremos mais de Gabriel no segundo livro da série Pecado Original. Luc é atraente de um jeito maléfico, com um estilo sarcástico que provavelmente fará sucesso com as leitoras do sexo feminino.

Já o anjinho Gabe é bom, honrado e temperado com uma pegada e tanta de vez em quando, mas não se anime, é muito difícil tentar esse moçinho angelical. Talvez ainda haja muito de boa moça católica em mim, porque Gabriel é de longe meu personagem favorito no livro. Eu ficava a cada momento torcendo para que Franie resistisse a Luc e se rendesse a Gabe e ao lado bom da força. Luc sofre transformações positivas no desenrolar da trama e no final eu fiquei um pouco dividida.

O enredo de Personal Demons à primeira vista pode despertar a impressão de ter uma história fraca, mas este preconceito é rapidamente superado pelo desdobramento e rumo que a narrativa assume. Uma prova desta afirmação é o próprio “dom” de Franie. Só há uma palavra para a idéia da autora: Genial!

Apesar de ser um livro do gênero YA Paranormal, Personal Demons despertará não só batalhas no consciente do próprio leitor como também causará um grande debate religião X livre arbítrio e etc.

Outro destaque no mínimo curioso é a referência da autora á duas bandas que eu particularmente adoro. The Fray e Nickelback, ela as músicas You Found Me e Save Me, representariam respectivamente Franie e Luc.

Estou dando nota 8 para Personal Demons. Só não darei a nota máxima por conta de alguns aspectos da narrativa e alguns diálogos que não me agradaram, porém nada que prejudicasse o meu aproveitamento da leitura.


Informações úteis

  • Texto por: Marina Moura
  • Autor: Lisa Desrochers
  • Ano: 2010
  • Editora: ID
  • Avaliação: 8
  • Texto postado também em: Minha vida por um livro:

  • Nenhum comentário:

    Postar um comentário